Por que os protestos foram proibidos

Últimas Notícias



Categorias


Jewel SAMAD / AFP

Por que os protestos foram proibidos

A Olimpíada é maior do que o Rio, do que o Brasil, do que Londres, do que a Inglaterra

Geral
11 de agosto de 2016 às 17:54:58 187 visualizações

A Olimpíada é o maior evento do planeta Terra. Nem a ONU consegue reunir tantas pessoas diferentes, de tantos países, todos convivendo em paz.Como se consegue tal façanha?

Com regras próprias. A Olimpíada é maior do que o Rio, do que o Brasil, do que Londres, do que a Inglaterra, porque a Olimpíada é a reunião do mundo inteiro.Mas não só a Olimpíada. Qualquer grande competição esportiva internacional, ou filiada à entidade multinacional, mantém regulamento próprio.

Por exemplo: nenhum time que disputa um campeonato da FIFA pode recorrer à Justiça Comum de seu país. Se o fizer, será duramente punido. O Inter experimentou o peso dessa regra em 2005. Dois torcedores tentaram recorrer à Justiça Comum daquela decisão do STJD mandando jogar uma série de partidas novamente. Se o recurso fosse impetrado, o Inter seria rebaixado à Segunda Divisão.

Outra ilustração: nos estádios brasileiros é proibida a venda de bebidas alcoólicas. Na Copa do Mundo, essa proibição foi revogada, porque o torneio é patrocinado por uma marca de cerveja.

Conto tudo isso para falar acerca da polêmica das manifestações políticas nas arenas da Olimpíada. Houve problemas com brasileiros que protestavam contra o governo Temer e com venezuelanos que protestavam contra o governo de Maduro.

Não é a natureza da manifestação que importa. Não é porque era Temer, não é porque era Maduro. Não interessa. Manifestações políticas e religiosas são proibidas em competições esportivas internacionais, seja a Olimpíada, seja a Copa do Mundo, seja o Mundial Interclubes.

Você pode achar injusto, mas pense: como seria possível manter o clima de harmonia, se cada um que tem algo a reclamar decidisse usar esse palco gigantesco para expor o seu ponto de vista? Como conciliar muçulmanos, judeus e cristãos, árabes, judeus e franceses?

Ontem, o diretor-executivo do COI, Mário Andrada, falou sobre isso. Disse que a proibição é, inclusive, uma questão de segurança. E é mesmo. Há lugar e tempo para tudo, e a Olimpíada não é lugar para isso.

O esporte, por parecer alheio aos dramas da vida, é maior do que os dramas da vida.