Relembre os furacões mais mortais das últimas décadas na América

Últimas Notícias



Categorias

No Haiti, mais de 800 pessoas morreram em decorrência do furacão Matthew
No Haiti, mais de 800 pessoas morreram em decorrência do furacão Matthew
Nicolas Garcia / AFP

Relembre os furacões mais mortais das últimas décadas na América

Furacão Matthew, que passou por países do Caribe e deixou mais de 800 mortos no Haiti, chegou nesta madrugada no sul dos Estados Unidos

Geral
07 de outubro de 2016 às 17:26:13 674 visualizações

O Haiti já contabiliza mais de 800 mortos após a passagem do furacão Matthew, nesta semana. A fúria do vento, que atingiu 230 km/h, fez do Haiti o país mais atingido pelo furacão. O número de vítimas ainda pode crescer, já que muitas áreas estão inacessíveis para as equipes de resgate.

 

A região mais castigada foi o sul do país, com 300 mil residências danificadas. Somente na cidade de Roche-a-Bateau, 50 pessoas morreram. Na vizinha Jérémie, 80% das casas vieram abaixo.

 

Na madrugada desta sexta-feira, a mais recente supertempestade a atingir o continente americano chegou ao Estado da Flórida, nos Estados Unidos, com vento passando de 200 km/h. O fenômeno também passou por alguns países do Caribe.

 

Veja quais foram os furacões que mais deixaram vítimas na América nas últimas duas décadas:

Manuel e Ingrid (2013, México): 157 mortos

Furacão Ingrid causou destruição e deixou 19 pessoas mortas no México, em 2013 - Foto: Koral Carballo / AFP


Em meados de setembro, os furacões Manuel, na costa do Pacífico, e Ingrid, na costa atlântica do Golfo do México, causaram chuvas torrenciais que afetaram 22 dos 32 estados mexicanos. Ao menos 157 pessoas morreram e 1,7 milhão perderam suas casas.

 

Sandy (2012, Caribe e Estados Unidos): 265 mortos

Em 29 de outubro, o furacão Sandy golpeou o Estado de New Jersey antes de atravessar a cidade de Nova York, com ventos com força de furacão em uma região densamente povoada. Deixou cerca de 200 mortos, incluindo 40 em Nova York, provocou inundações maciças e danificou a infraestrutura da cidade. Antes de atingir os Estados Unidos, tinha afetado o Caribe, causando 54 mortes no Haiti e 11 em Cuba. 

 

Hanna (2008, Haiti): 500 mortos

Algumas cidades ficaram totalmente submersas com a passagem do furacão Hanna pelo Haiti, em 2008

Em 3 de setembro, o furacão Hanna atingiu o Haiti, deixando ao menos 500 mortos. A passagem sucessiva das tempestades Fay, Gustav, Hanna e Ike deixou um total de 1.100 mortos e desaparecidos no período de um mês.

 

Katrina (2005, Estados Unidos): 1,8 mil mortos


Mais de 1.800 pessoas morreram ao longo da Costa do Golfo dos Estados Unidos entre 29 e 30 de agosto, quando o furacão Katrina tocou terra. Um milhão de pessoas foram evacuadas, e os custos financeiros da tragédia ultrapassaram US$ 150 bilhões.

 

Jeanne (2004, Haiti): 3 mil mortos



As inundações causadas pelo furacão Jeanne entre 17 e 19 de setembro deixaram mais de 3 mil mortos e 300 mil pessoas sem casa.

 

Mitch (1998, América Central): 9 mil mortos



Entre 26 de outubro e 5 de novembro, o furacão Mitch deixou mais de 9 mil mortos e desaparecidos e 2,5 milhões de pessoas ficaram sem suas casas, a maioria em Honduras e na Nicarágua, dois dos países mais pobres da América Latina. O fenômeno foi acompanhado, ainda, pela erupção de um vulcão no noroeste de Manágua.